Skip to content

O Círculo

Empowering Communities

Category Archives: Cinema

coloquioperversao

Em tempos recentes, perversão parece ter-se tornado um significante livre. Por um lado, reactualiza-se nesse conceito uma leitura teológica, identificando o denominador comum do pecado ou a condição da existência num mundo marcado pela morte de Deus. Por outro, as artes não param de reivindicar um carácter perverso, por destruição ou irónica reciclagem de tradições; porque a tradição da ruptura é hoje também tradição da perversão, ou perversão de perversões. Ao mesmo tempo, a psicanálise de raiz freudiana sistematiza os comportamentos perversos do indivíduo, como patologia, estagnação no desenvolvimento libidinal, ou legítima fantasia.

De que falamos, pois, quando falamos de perversão?

Parece ser perverso o que começa nas margens de qualquer sistema, per-vertendo-o, in-vertendo-o. Nesta perspectiva, o conhecimento humano e a linguagem que o configura começam sempre por ser perversos. Todas as revoluções científicas, políticas, artísticas são necessariamente perversas, como é perverso o espaço comum que suscitam: esse lugar onde convivem Newton e Einstein, Marx, Lenine e Mussolini, Júlio Dantas e Almada Negreiros. Resta saber que perversão pode existir fora do modelo da revolução. E, se cada novidade começa por ser perversa face a um sistema, resta ainda saber como se perde e desfaz a perversão do conhecimento de cada vez que um novo conteúdo é canonizado pela doxa.

Eis-nos, então, perante o paradoxo. Se o século XX defendeu que todos temos direito à perversão, como entender a contradictio in terminis que é a perversão legitimada? Não haverá uma perda insanável nesse livre acesso contemporâneo ao perverso, que o torna mercadoria kitsch? Ou representará o kitsch justamente o triunfo mais perverso da perversão no campo estético? E finalmente: se hoje a única perversão possível for recu¬sar a perversão, se a dialéctica do legítimo e do ilegítimo perder o equilíbrio que sustém o seu movimento, resta inventar novas possibilidades criativas do perverso — ou simplesmente abandonar esse caminho por demais trilhado?

Estas são algumas das questões de partida do Colóquio Internacional Artes da Perversão, que compreenderá uma reflexão crítica alargada a diversos ramos do saber, dos estudos literários aos estudos de cinema, do teatro às artes plásticas, sem esquecer a psicanálise e a teologia

PROGRAMA
COLÓQUIO INTERNACIONAL E INTERDISCIPLINAR ARTES DA PERVERSÃO

Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa
Faculdade de Letras da Universidade do Porto
23-24 de Abril de 2009

► 23 de Abril Anfiteatro Nobre

10:00 Recepção dos conferencistas

10:30 Abertura

11:00
Moderador: Rosa Maria Martelo

Phillip Rothwell (Rutgers Univ.)
Bodies Without Places: Perversion in Contemporary Capitalism through Lacan, Badiou and Žižek

Luís Mourão (IP Viana do Castelo)
A voz material da ética e a voz material da perversão: começar e acabar em alguns mundos de Gonçalo M. Tavares

Juan José Adriasola (Rutgers Univ.)
Perversas narrativas: mercado político y “nueva narrativa” en el Chile de los 90

13:00 Almoço

14:30
Moderador: Luís Maffei

Alexandra Moreira da Silva (Univ. Porto)Formas perversas, vozes ob(s)cenas no teatro contemporâneo: Sade, Sacher-Masoch, Crébillon, Laclos

José Alberto Ferreira (Univ. Évora)
A perversão do método, ou o método da perversão

Paulo Eduardo Carvalho (Univ. Porto)
Sófocles e Molière (per)vertidos por Martin Crimp

16:30 Pausa para café

16:45
Moderador: Laura Ferreira dos Santos

David Barros (Univ. Nova Lisboa)«Pardon me, but my teeth are in your neck»: Os caminhos da perversão no cinema de Roman Polanski

Joana Matos Frias (Univ. Porto)
A Beleza Convulsiva das Imagens: Surrealismo e Perversões Ópticas

Margarida Gil dos Reis (Univ. Lisboa)
Corpos perigosos: perversão e jogo

21:30 Cinema Medeia – Shopping Cidade do Porto
Projecção do filme: Ma’s Sin de Saguenail
Debate

► 24 de Abril Anfiteatro Nobre

9:00
Moderador: Margarida Gil dos Reis

Jorge Bastos da Silva (Univ. Porto)
Assassinos Loquazes – ou: Da Arte de Matar com Arte

José Domingues de Almeida (Univ. Porto)
Perversion et naïveté dans la prose narrative d’Eugène Savitzkaya: approche du fatum humain

Pedro Eiras (Univ. Porto)
Por uma ética da perversão

10:45 Pausa para café

11:00
Moderador: Gonçalo Vilas-Boas

José Rui Teixeira (Univ. Porto / Univ. Católica Porto)
O corpo e a morte O Decadentismo finissecular da poética de Guilherme de Faria. Uma leitura teológica circunstancial

Laura Ferreira dos Santos (Univ. Minho)
Morte assistida: uma reivindicação perversa?

José Tolentino Mendonça (Univ. Católica Lisboa)
A perversão é necessária? – O efeito incontrolado de uma citação bíblica numa passagem de Dostoiévski

13:00 Almoço

14:30
Moderador: Phillip Rothwell

Américo António Lindeza Diogo (Univ. Minho)
Perversões de Autoridade em Vasco Graça Moura e Adília Lopes

Luís Maffei (Univ. Federal Fluminense)
Se tão perverso preço cabe em verso

Rosa Maria Martelo (Univ. Porto)
O “especialista em sublimação” e os usos da linguagem (acerca da poesia de António Franco Alexandre)

18:00 Trintaeum
Mesa-redonda de criadores
Moderador: Luís Mourão
Ana Luísa Amaral
José Emílio-Nelson
valter hugo mãe

O FESTAFIFE – MARIONETAS SEM FRONTEIRAS – Festival Internacional de Marionetas e Cinema de Animação, é resultante da vontade de duas associações – a AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual e o Grupo de Teatro – Marionetas, Actores & Objectos, de criar um espaço para a divulgação e confrontação das áreas do cinema de animação e teatro de marionetas, e fora do contexto geográfico habitual da programação destas actividades. Pretende-se também desta forma, reactivar o núcleo artístico-cultural em torno da figura do Casino Afifense e assim contribuir para uma concreta descentralização das actividades culturais da região.  O FESTAFIFE terá lugar de 01 a 08 de Dezembro, no Casino Afifense, em Afife, Viana do Castelo.

Em regime de itinerância este projecto contempla o FESTAFIFE ANDANTE, que visitará os concelhos de Caminha e Paredes de Coura. 

Da programação do cinema de animação propomos uma retrospectiva do cinema de animação russo, um percurso turbulento e mágico, desde o cinema mudo até aos nossos dias. Na sessão de abertura será apresentado o imperdível Among the Thorns, uma produção Sueca sobre a tolerância, feito com uma técnica muito peculiar em que todas as personagens são primeiro criadas como marionetas e a seguir fotografadas a 360º. A estória remete-nos para acampamento de Verão dedicado à música. One Night in the City, da República Checa, é uma longa-metragem de terror em animação de ‘stop-motion’, com a técnica de animação de marionetas, que demorou 10 anos a concluir. O filme húngaro The District! é uma das mais premiadas e invulgares longas-metragens europeias da actualidade, e está longe das habituais efabulações das longas de animação, assumindo-se como um retrato dos sérios conflitos sociais dos grupos de jovens dos guetos urbanos. Recorre à técnica da fotografia, recortes, computador 2D e 3D. O filme De Profundis do realizar e autor de banda desenhada galego Miguelanxo Prado será uma fantástica surpresa que representa o primeiro filme de animação que tem por base a pintura a óleo. Trata-se, segundo o realizador, de uma homenagem ao mar como fonte de vida.

A programação do teatro de marionetas apresenta uma festa aberta para as todas paisagens e todas tendências e reflexões à volta de “bonecos”, e das suas influências  em outras áreas artísticas. E coloca um desafio: Ainda és capaz de despertar a criança que está dentro de ti?  Para provocar convidamos “titiriteiros” da vizinha Galiza,  um teatro de sombras – uma tradição longínqua “Karagöz” da Turquia, o “mítico”  Sergei Obratzsov – Teatro Estatal de Moscovo, e as participações nacionais Mandragora de Gondomar e Al-Masrah de Tavira. O grupo Marionetas, Actores e Objectos apresentará a sua última produção “Falta Aqui Qualquer Coisa”.

Para a sessão de encerramento propomos um espectáculo único: uma produção exclusiva para a festa de encerramento:” 0.07  Maravilhas de Viana”.

Acreditamos na contaminação resultante da convivência das propostas nas duas áreas, e na provocação de experimentar novas formas de olhar, construir e narrar histórias.

Concordamos com o facto da necessidade de criar estímulos visuais alternativos e formas não padronizadas de apresentar narrativas, principalmente no público escolar, que dispõe um de elevado grau de habituação a espectáculos visuais comerciais, à abundante produção televisiva e abusiva utilização da internet.  

Concordamos estar a contribuir também para uma diversificação da oferta cultural, numa região que tem dificuldade em reconhecer que tem enraizada uma tradição popular de marionetas – os Gigantones e Cabeçudos

Por acharmos que é um projecto sólido e com propostas imperdíveis, atrevemo-nos a convidá-lo a visitar o Casino Afifense, em Afife, Viana do Castelo, de 01 a 08 de Dezembro para ver Marionetas e Cinema de Animação Sem Fronteiras.

A Direcção Artística do FESTAFIFE

+ informações: http://www.festafife.com


FESTAFIFE – Marionetas sem Fronteiras
Festival Internacional de Marionetas e Cinema de Animação

 

Edificio Palácio, 3º
Sala 308
4900-495 Viana do Castelo
Portugal

 

Fax: +351 258 821 619
Telem.: +351 963 676 174 (Teatro)
Telem.: +351 962 834 852 (Cinema de Animação)
e-mail:
festafife@gmail.com
http://www.festafife.com

Os bonecos animados para a tela de cinema voltaram a Espinho. Os amantes da sétima arte contam a partir de hoje e até domingo, dia 11 de Novembro, com a 31ª edição do Cinanima (Festival Internacional de Cinema de Animação). Este ano há dois filmes portugueses entre a lista dos 63 candidatos aos prémios da competição internacional: “Cândido”, de Zepe, e “Cães Marinheiros” de Joana Toste. No total, são 95 filmes a concurso de 56 países.

António Gaio, director do festival desde 1981, garantiu que “o Cinanima continua jovem e é uma oportunidade única para os mais novos contactarem com outros profissionais do cinema de animação e de divulgarem os seus trabalhos”.

A certame deste ano contará com a tradicional secção Panorama, onde serão mostrados filmes internacionais não seleccionados.

António Gaio destacou uma mostra feita a duas mãos pela Galiza e Portugal, onde se inclui um filme baseado na história para crianças de José Saramago, intitulada “A árvore mais grande do mundo”, que conta com uma animação da caricatura do escritor português.

Os japoneses e os suíços estarão também no centro do programa, pela qualidade das escolas de animação de ambos: o centro de imagem animada e audiovisual japonês Open Art e escola suíça HGK Lucerne Animation Scholl.

Homenagem a Álvaro Patrício
Nesta 31ª edição o criador Álvaro Patrício será homenageado “na qualidade de veterano por se ter destacado no campo da animação, em especial no trabalho que desenvolveu na RTP”, como explicou o director do Cinanima. Nesse sentido, foi hoje inaugurada uma exposição retrospectiva da carreira de Patrício.

Tal como nos outros anos, a animação portuguesa concentra-se no Prémio António Gaio (sábado às 16h00) e Prémio Jovem Cineasta (quinta-feira às 18h00), aos quais concorreram, respectivamente, 12 e nove filmes.

Os júris que vão decidir os prémios nestas secções são formados pelos realizadores Ferran Gallart (Espanha) e Armando Servais Trigo (Portugal), pelo produtor António Costa Valente (Prémio António Gaio), pelos cineastas e animadores Pedro Brito e Afonso Cruz e pela assistente de produção Júlia Rocha (Prémio Jovem Cineasta).

Os realizadores Regina Pessoa, Ferenc Rofusz (Hungria) e Vera Neubauer (Reino Unido), o professor Otto Alder (Alemanha) e o jornalista e poeta Manuel António Pina decidirão os prémios da competição internacional, enquanto os cineastas José Fonseca e Costa, Nuno Amorim e o espanhol Óscar de Santillana (director da Ars Animación) escolherão as melhores longas-metragens, este ano representadas em Espinho por cinco produções, uma quantidade pouco usual no festival: “El Arca”, de Juan Pablo Buscarini (Argentina); “Le Tueur de Montmartre”, de Borislav Sajtinac (França); “Prince Vladimir”, de Yuri Kulakov (Rússia); “De Profundis”, de Miguelanxo Prado (Espanha); e “One Night in one City”, de Jan Balej (República Checa).

O Cinanima deste ano mostra ainda uma selecção de trabalhos do nova-iorquino John R. Dilworth (n. 1963), o autor do divertido “The Chicken from Outer Space” (1995), um filme que retoma a tradição da animação e do “cartoon” clássicos.

Para além da secção competitiva internacional, o festival contempla ainda uma série de actividades que vão desde a organização de “workshops”, debates, exposições, passeios turísticos, sessões especiais e retrospectivas.

Fonte: Público

O escritor José Saramago vai ser um dos convidados de honra da sexta edição do Festival Internacional de Curtas-Metragens de Évora (FIKE), onde este ano estará em competição 101 filmes entre 16 e 24 de Novembro.

O director do festival, João Paulo Macedo, informou que, “após uma pausa estratégica” de um ano, o certame dedicado à curta-metragem regressa com mais filmes em competição, escolhidos entre 2165 obras candidatas, provenientes de 74 países. “As grandes novidades desta edição são o programa paralelo de workshops e ‘master classes’ sobre realização”, salientou o responsável, acrescentando que se mantém “uma forte ligação às artes do espectáculo e à fotografia”.

O Nobel da Literatura estará presente, a 20 de Novembro, no auditório da Universidade de Évora, na exibição do filme “Jangada de Pedra – Viagem ao nosso passado mais remoto”, baseado na obra homónima do autor e realizado por Rietske van Raay. Também estarão presentes nessa sessão o músico catalão Jordi Savall e o escritor libanês Amin Maalouf, que receberá no mesmo dia o doutoramento honoris causa pela universidade da cidade.

Um total de 101 filmes dos cinco continentes ficou apurado na selecção oficial, paralelamente à qual o FIKE apresentará uma retrospectiva da obra da produtora Rosi Burguette, workshops, “master classes”, instalações de fotografia e espectáculos musicais, nomeadamente um concerto de The Legendary Tiger Man, na abertura do certame.

O FIKE irá ainda homenagear o realizador iraniano Kamran Shirdel exibindo seis dos seus filmes e o fotógrafo italiano Leonardo Autera – que trabalhou com o célebre fotógrafo Helmut Newton – cuja obra será alvo de uma retrospectiva completa.

“Apesar da falta de apoio crónica, o festival realiza-se este ano com mais ambição porque a afluência de público tem sido muito significativa em todas as edições”, salientou, defendendo a continuidade deste tipo de eventos fora dos grandes centros urbanos do litoral do país, de forma a “contrariar a tendência da centralização”.

“O festival é um importante pólo cultural que atrai turismo e contribui para o desenvolvimento local”, sustentou ainda.

Com um orçamento de 70 mil euros, o FIKE 2007 conta com o apoio da Câmara Municipal de Évora, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de patrocínios de empresas locais.

Fonte: Público

O IPJ e a Sociedade Ponto Verde estão a dinamizar associações/grupos informais para a apresentação, no Eco Parlamento Jovem, de projectos ligados ao Ambiente.  Em Maio de 2008, em Praga.

Assim, se:

  • Tens entre 15 e 17 anos
  • Te interessas pela protecção e preservação do ambiente
  • Desenvolves ou participaste recentemente num projecto na área ambiental
  • Gostavas de colaborar com outros jovens europeus e do Canadá para a divulgação de projectos liderados por jovens…

…então, este convite é para ti !

Se o teu projecto for seleccionado, poderás participar:

  1. num encontro de trabalho em Paris (Outubro/2007) e, depois,
  2. no Eco Parlamento Jovem, em Praga (Maio/2008).

Verifica, então, se tens:

  • um projecto de protecção ambiental pura e simples (protecção e vigilância de florestas, limpezas de praias, etc) ou
  • um projecto de sensibilização ou educação ambiental, que procure criar uma mudança de comportamentos numa comunidade mais ou menos alargada (uma escola, ou uma vila, por exemplo).

se o teu projecto:

  • está a decorrer ou decorreu muito recentemente
  • é liderado e implementado por jovens e,
  • de entre eles, se encontram rapazes ou raparigas entre os 15 e os 17 anos.

e apresenta-o de 8 de Agosto a 28 de Setembro de 2007!

Para tal, preenche este Formulário de Candidatura e envia-o para a Delegação Regional do IPJ do respectivo distrito.

Não te esqueças: até 6ª Feira, dia 28 de Setembro de 2007.

Mas, antes de preencheres o formulário, deves também ler o documento Relatório do YEP para o Ambiente. Nele podes encontrar muita informação fundamental.

Deixamos-te mais duas indicações:

Serão 2 os projectos seleccionados a nível nacional e na primeira quinzena de Outubro de 2007 já saberás quais foram!

Todas as deslocações, estadia e alimentação dos Delegados aos dois encontros são suportadas pela Sociedade Ponto Verde.

Para outras informações, contacta a Delegação Regional do IPJ do teu distrito ou a Sociedade Ponto Verde, através do e-mail: susana.fernandes@pontoverde.pt.

Concorre e que ganhem os melhores!

A XIV Bienal Internacional de Arte de Vila Nova de Cerveira é hoje oficialmente inaugurada, abrindo as portas a 300 artistas nacionais e internacionais, num total de 543 obras.

O grande prémio desta edição da Bienal, que encerra a 29 de Setembro, foi atribuído anteontem ao artista israelita Zadoc Ben-David, com a instalação Black Fields, que se encontra exposta no Museu Municipal de Caminha. O júri decidiu ainda atribuir o Prémio Revelação ao artista suíço Pascal Nordmann, com L’Esprit des Lieux à Vila Nova de Cerveira, e o prémio IPJ a Saray Garcia Rua e Ana Eiriz, autores do vídeo ÓXYMORON.

O prémio Águas do Minho e Lima foi ganho por Pedro Serrenho, com a obra A Natureza Cíclica da História-Inevitável Declínio e Queda, enquanto Paulo Neves arrecadou, com a escultura RODA, o prémio DST — Domingos da Silva Teixeira, S.A.

Com o prémio Caixa de Crédito Agrícola Alto Minho foram distingidos quatro artistas: Augusto Canedo (As Minhas Fatuchas, técnica mista s/papel); Liang Chen (Entre ciel et terre 1 e Entre ciel et terre 2; Sejma Prodanovic (Mer e Noon, colagens); e Yun-Jung (Black Rainbow I e Black Rainbow II, ambos em ponta seca).

O júri foi constituído por José Manuel Carpinteira (presidente da CMVNC), Alberto González-Alegre e Joaquin Lens Tuero (críticos de arte), Jaime Isidoro (pintor) e Henrique Silva (director da bienal).

No decorrer desta bienal serão homenageados Júlio Resende, a Fundação Marguerite e Aimé Maeght, de Paris, e Maria Marcelina, considerada uma das grandes obreiras das bienais de Cerveira.

Além do concurso internacional, a bienal inclui ateliers de arte electrónica, pintura e escultura, intervenções de rua, concertos, colóquios, mesas redondas e visitas guiadas, entre outras iniciativas. Haverá também uma exposição com artistas convidados e ateliers com artistas a trabalhar ao vivo em regime de workshop.

Hoje, a partir das 14h30, realizam-se as inaugurações nos espaços descentralizados do concelho, nomeadamente no Convento S. Paio (Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa), Centro Cultural de Campos (Novas Simbologias), Casa do Artesão (arquitectura à Margem), Salão dos Bombeiros (L’Esprit des lieux, de Pascal Nordmann), Pousada D. Dinis (instalação RD Line) e Escola Superior Gallaecia (arquitectura, Design e Ecologia).

Fonte: Público

Projecções nos cinemas Londres e São Jorge, e a realização de uma maratona de cinema documental são as novidades do Festival DocLisboa, que decorrerá de 18 a 28 de Outubro, foi hoje anunciado na apresentação da programação.

O V Festival Internacional de Cinema Documental de Lisboa (DocLisboa) voltará este ano às salas da Culturgest, no que foi qualificado pelo director da instituição, Miguel Lobo Antunes, como “um casamento feliz”.

Dado o número crescente de espectadores e a necessidade dos filmes em competição serem exibidos duas vezes, assim como alguns das secções paralelas, a organização do festival decidiu alargar as projecções às duas salas do cinema Londres.

O cinema São Jorge será espaço para sessões escolares organizadas e ainda para uma matiné infantil.

Este cinema será ainda o local onde no último domingo do festival, 28 de Outubro, será realizada uma maratona nas suas duas salas.

Esta maratona incluirá 15 filmes escolhidos por um dos comissários do festival e começará às 11h00 de domingo para terminar na madrugada de segunda-feira.

Ana Isabel Strindberg, da organização, salientou que a partir deste ano a Sony será o patrocinador oficial do DocLisboa, que pela primeira vez recebeu apoio do programa Media da União Europeia.

No ano passado, o DocLisboa contou com a presença de 22.500 espectadores e uma taxa de ocupação de salas da ordem dos 70 por cento.

fonte: Público

%d bloggers like this: