Skip to content

O Círculo

Empowering Communities

A instalação de equipamentos informáticos para pessoas com problemas de visão ou audição nos cinemas foi hoje reclamada pela investigadora Josélia Neves, que apresentou o primeiro DVD inclusivo para todos, em parceria com a Lusomundo.

O filme “Nascimento de Cristo” foi hoje apresentado e inclui, além das legendas normais em português, áudio-descrição da história (para cegos) e legendas para surdos bem como uma opção de língua gestual, revelou Josélia Neves, docente do do Instituto Politécnico de Leiria (IPL).

A legendagem para surdos distingue-se das legendas normais porque inclui, além do texto dos actores, figuras desenhadas, cores, símbolos de notas de música e de ruídos, bem como sinais que identificam os autores do som, apoiando os surdos na compreensão total do filme.

Hoje, por ocasião do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, o filme foi exibido a título experimental numa sala de cinema em Lisboa, mas Josélia Neves considera que seria “importante” para as pessoas com necessidades especiais que já existissem equipamentos preparados para este tipo de público.

O ideal seriam auriculares com os quais os cegos pudessem ouvir as audio-descrições e um PDA portátil que permitisse aos surdos apreciar as legendas ou a língua gestual, defendeu a investigadora, que destacou a originalidade do projecto de edição deste DVD.

“Este DVD é uma novidade absoluta em Portugal mas também em muitos países europeus”, considerou Josélia Neves, que aponta a Inglaterra e a Alemanha como exemplos deste tipo de integração de conteúdos para pessoas com necessidades especiais.

“As nossas soluções permitem um cinema inclusivo” porque os surdos e cegos poderiam assistir ao mesmo filme nas mesmas salas, explicou a investigadora, que estima em cerca de 20 por cento a percentagem de pessoas que poderiam recorrer a alguns destes recursos.

“Dez por cento da população portuguesa tem algum tipo de necessidades especiais” e a este valor soma-se o elevado número de idosos, justificou.

Por seu turno, Saúl Rafael, um dos responsáveis do projecto da parte da Lusomundo, explicou que esta foi a forma da empresa se associar ao Ano Europeu de Igualdade de Oportunidades para Todos, assinalando também o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência.

Além do IPL e da Lusomundo, o projecto contou com o apoio da Associação Portuguesa de Surdos (APS) e da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO), revelou Saúl Rafael.

“Este momento marca uma viragem da forma como os audiovisuais podem ser abordados” e a “médio prazo poderão haver condições para dotar algumas salas Lusomundo com condições técnicas para estes utilizadores”, acrescentou este responsável.

O custo de adaptação do DVD orçou os 15 mil euros e cada filme será distribuído nas lojas e grandes superfícies por 15 euros.

Fonte: Público

Advertisements

%d bloggers like this: