Skip to content

O Círculo

Empowering Communities

Todas as escolas públicas do ensino básico estarão integradas na rede de bibliotecas escolares até ao final do corrente ano lectivo, o que implicará um investimento de cinco milhões de euros, anunciou hoje o primeiro-ministro, José Sócrates.

Na apresentação do balanço do Plano Nacional de Leitura, que decorreu hoje na Gulbenkian, em Lisboa, José Sócrates definiu metas para 2007-2008, afirmando que, “no fim deste ano lectivo, a rede de bibliotecas escolares abrangerá toda a rede de escolas públicas básicas, e os investimentos necessários serão de cinco milhões de euros”.

O primeiro-ministro especificou que o Ministério da Educação vai investir 1,5 milhões de euros no apetrechamento de bibliotecas com livros, e que as autarquias investirão outros 1,5 milhões de euros para o mesmo fim.

Quanto a objectivos, José Sócrates afirmou que vai ser concluída a rede de bibliotecas nas escolas básicas, com a construção das 130 que faltam.

“No fim do ano lectivo todas as escolas sede de agrupamento estarão apetrechadas e nos novos centros escolares a valência centro de recursos e biblioteca vai ser obrigatória”, disse também o primeiro-ministro.

No que respeita às escolas secundárias, nas quais o Governo pretende igualmente consolidar a rede, José Sócrates afirmou serem 17 os estabelecimentos de ensino que ainda não têm bibliotecas renovadas.

Fazendo um balanço do Plano Nacional de Leitura, o primeiro-ministro considerou que a rede de bibliotecas “é um programa bem sucedido”, que não se limita às instalações, contando também com “professores dedicados e actividades pedagógicas”.

Envolvendo escolas de todos os níveis de ensino, nos últimos dez anos foram criadas 1880 bibliotecas, 847 no primeiro ciclo e 1033 nos restantes, tendo sido investidos 33,5 milhões em recurso técnicos e docentes.

José Sócrates sublinhou ainda que, no âmbito da rede de bibliotecas, trabalham actualmente em todo o país nos serviços centrais 12 técnicos e 32 professores, e no ensino básico e secundário 347 professores a tempo inteiro.

Quanto a investimentos, o chefe do Governo disse que, no ano lectivo de 2006-2007, foram aplicados 1,5 milhões de euros em livros para as bibliotecas, sendo que a Fundação Calouste Gulbenkian contribuiu com 150 mil euros.

A propósito do Dia Internacional da Biblioteca Escolar, que hoje se assinala, José Sócrates destacou a importância destas infra-estruturas.

“Enriquecem os recursos disponíveis da escola e favorecem o acesso de todos aos livros e à leitura. A escola fica mais completa e serve melhor os alunos e, se forem organizadas segundo um padrão nacional, reduzem as desigualdades e as assimetrias”, referiu ainda o primeiro-ministro.

Fonte: Público

Advertisements

%d bloggers like this: