Skip to content

O Círculo

Empowering Communities

Viagra, Cialis e Levitra são fármacos conhecidos daqueles que sofrem de disfunção eréctil. O leque de utilizadores pode vir a ser alargado, mas não pelos mesmos motivos. Um estudo desenvolvido em Itália veio demonstrar as potencialidades anti-envelhecimento dos fármacos e que tanto homens como mulheres podem tirar partido dos benefícios.

Em teoria, todos os medicamentos com fosfodiesterase tipo 5, como os já referidos, podem ter estes efeitos de rejuvenescimento, de acordo com o estudo de Antonella Bertozzi (andrologista do Hospital Santa Chiara de Pisa), publicado no jornal Corriere della Sera. Além de terem sido uma revolução no tratamento da impotência, estes medicamentos revelam ter efeitos no rejuvenescimento do coração, artérias, cérebro e na protecção do organismo.

O estudo foi efectuado a partir da substância activa tadalafil, cujo nome comercial é Cialis, mas a especialista considera que os efeitos das outras moléculas são semelhantes: Todos bloqueiam a enzima que inibe a libertação de óxido nítrico, que promove a erecção. A descoberta da andrologista apareceu depois de ter analisado vários pacientes a quem tinha receitado o medicamento.

A especialista começou por avaliar se o rejuvenescimento das células endoteliais – coração e vasos sanguíneos – com que deparou, não tinha apenas a ver com os efeitos positivos do sexo. Depois de o provar, testou 40 pacientes não fumadores e bastante sedentários, de forma a medir os níveis de radicais livres e de óxido nítrico em circulação. Passados dez dias do tratamento, verificou que os níveis de radicais livres tinham caído cerca de 50%. Os radicais livres são responsáveis pelo envelhecimento, afectando os vasos sanguíneos e o sistema nervoso central, e surgem como resíduo da actividade bioquímica operada nos mitocôndrios, a central energética das células. A redução da sua produção seria, por isso, suficiente para atrasar o processo de envelhecimento, conclui o estudo.

Dose a aplicar em estudo

O estudo foi alargado na fase seguinte, com o objectivo de se testar o efeito destas substâncias nas mulheres e a dose mínima necessária para se processar o rejuvenescimento. Bertozzi considera que “a simples presença dos radicais livres é responsável pela alteração de todas as células e estruturas vivas. Por isso, encontrar uma forma de as bloquear, abre novas perspectivas. No entanto, é necessário aprofundar a pesquisa, já que é necessário dar o salto da terapia de órgãos para a terapia de organismos, anti-envelhecimento e não apenas para homens”.

De acordo com o jornal italiano, já foi constituído um grupo de estudos interdisciplinar para aprofundar a pesquisa. Para já, sabe-se que as enzimas fosfodiestarase de tipo 5 são potentíssimos anti-oxidantes, que se opõem à acção de envelhecimento dos radicais livres e que interferem nas membranas internas das artérias. Ajudam-nas a recuperar a sua funcionalidade e fazem regredir o declínio das células cerebrais.

“Naturalmente, vamos ter de fazer testes com baixas doses e por períodos prolongados. Em média, deverá tratar-se de um par de comprimidos por semana”, diz a médica. Ainda estão a decorrer exames para saber qual será a dose indicada, já que um excesso de óxido nítrico pode ter o efeito inverso e acelerar o envelhecimento.

Fonte: DN

Advertisements

%d bloggers like this: