Skip to content

O Círculo

Empowering Communities

A XIV Bienal Internacional de Arte de Vila Nova de Cerveira é hoje oficialmente inaugurada, abrindo as portas a 300 artistas nacionais e internacionais, num total de 543 obras.

O grande prémio desta edição da Bienal, que encerra a 29 de Setembro, foi atribuído anteontem ao artista israelita Zadoc Ben-David, com a instalação Black Fields, que se encontra exposta no Museu Municipal de Caminha. O júri decidiu ainda atribuir o Prémio Revelação ao artista suíço Pascal Nordmann, com L’Esprit des Lieux à Vila Nova de Cerveira, e o prémio IPJ a Saray Garcia Rua e Ana Eiriz, autores do vídeo ÓXYMORON.

O prémio Águas do Minho e Lima foi ganho por Pedro Serrenho, com a obra A Natureza Cíclica da História-Inevitável Declínio e Queda, enquanto Paulo Neves arrecadou, com a escultura RODA, o prémio DST — Domingos da Silva Teixeira, S.A.

Com o prémio Caixa de Crédito Agrícola Alto Minho foram distingidos quatro artistas: Augusto Canedo (As Minhas Fatuchas, técnica mista s/papel); Liang Chen (Entre ciel et terre 1 e Entre ciel et terre 2; Sejma Prodanovic (Mer e Noon, colagens); e Yun-Jung (Black Rainbow I e Black Rainbow II, ambos em ponta seca).

O júri foi constituído por José Manuel Carpinteira (presidente da CMVNC), Alberto González-Alegre e Joaquin Lens Tuero (críticos de arte), Jaime Isidoro (pintor) e Henrique Silva (director da bienal).

No decorrer desta bienal serão homenageados Júlio Resende, a Fundação Marguerite e Aimé Maeght, de Paris, e Maria Marcelina, considerada uma das grandes obreiras das bienais de Cerveira.

Além do concurso internacional, a bienal inclui ateliers de arte electrónica, pintura e escultura, intervenções de rua, concertos, colóquios, mesas redondas e visitas guiadas, entre outras iniciativas. Haverá também uma exposição com artistas convidados e ateliers com artistas a trabalhar ao vivo em regime de workshop.

Hoje, a partir das 14h30, realizam-se as inaugurações nos espaços descentralizados do concelho, nomeadamente no Convento S. Paio (Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa), Centro Cultural de Campos (Novas Simbologias), Casa do Artesão (arquitectura à Margem), Salão dos Bombeiros (L’Esprit des lieux, de Pascal Nordmann), Pousada D. Dinis (instalação RD Line) e Escola Superior Gallaecia (arquitectura, Design e Ecologia).

Fonte: Público

Advertisements

%d bloggers like this: