Skip to content

O Círculo

Empowering Communities

Os consumidores habituais de cannabis e até aqueles que só experimentaram esta droga uma vez na vida apresentam um maior risco de desenvolver uma doença do foro psíquico, segundo um trabalho de uma equipa de investigadores britânicos publicado hoje na revista médica “The Lancet”.

A equipa — dirigida por Teresa Moore, da Universidade de Bristol, e Stanley Zammit, da Universidade de Cardiff — analisou 35 estudos feitos até 2006 com o objectivo de avaliar uma possível ligação entre o padrão do consumo de cannabis e a ocorrência de doenças mentais. A análise concluiu que as pessoas que experimentaram cannabis pelo menos uma vez na vida têm 41 por cento mais hipóteses de desenvolver problemas psíquicos.

Segundo o estudo, a probabilidade de desenvolver este tipo de doenças aumenta proporcionalmente em relação à frequência do consumo.

Situações como a depressão, a tentativa de suicídio ou problemas de ansiedade não estão, no entanto, directamente relacionadas com o consumo de cannabis, esclarecem os investigadores, uma vez que as ligações encontradas nesta área têm pouca consistência.

“Os governantes dos países têm de alertar a população para os riscos do consumo desta droga. Já há certezas suficientes para dizer às pessoas que consumir cannabis aumenta o risco de desenvolver doenças mentais ao longo da vida”, alertam os investigadores.

“A cannabis é normalmente considerada tão prejudicial como o álcool, os estimulantes [como a cafeína e a nicotina] ou os opióides [substâncias que servem para aliviar a dor]. No entanto, os efeitos prejudiciais da cannabis a longo prazo estavam a ser ignorados”, escrevem os investigadores Merete Nordentoft e Carsten Hjorthaj, da Universidade de Copenhaga, num comentário publicado na mesma edição da “The Lancet”. “Os governos faziam bem em investir em campanhas bem construídas e eficazes de educação sobre os riscos do consumo de cannabis para a saúde”, pode ler-se no comentário.

De acordo com o relatório da União Europeia “A Evolução do Fenómeno da Droga na Europa”, publicado no ano passado, “a cannabis é a substância ilegal mais consumida na Europa”.

Sessenta e cinco milhões de adultos europeus, ou seja, 20 por cento das pessoas entre os 15 e os 64 anos, experimentaram cannabis uma vez na vida e a taxa de consumo dos jovens europeus entre os 15 aos 24 anos varia entre os três e os 44 por cento.

Segundo as últimas estatísticas do Instituto da Droga e da Toxicodependência, referentes a 2005, a cannabis é a substância ilícita mais consumida em Portugal.

Fonte: Público

Advertisements

%d bloggers like this: