Skip to content

O Círculo

Empowering Communities

Já nasceu o primeiro bebé concebido com uma célula sexual feminina, um óvulo preservado e amadurecido fora do útero materno, em laboratório. A equipa canadiana que anunciou este nascimento, numa conferência sobre fertilidade em Lyon, França, diz que mais três bebés estão a caminho.

Esta conquista da investigação na área da fertilidade pode ajudar a evitar a síndrome da hiperestimulação, de que sofrem muitas mulheres que se submetem a tratamentos de fertilidade para estimular a ovulação difícil, que pode até ser mortal.

Mas ajuda essencialmente quem não consegue produzir óvulos, por incapacidade natural ou após quimioterapia, uma vez que permite que um óvulo doado seja criopreservado e amadurecido in vitro podendo, por fertilização in vitro, dar origem a uma gravidez mais tarde.

A equipa do Centro Reprodutivo McGill, em Montreal, Canadá, afirma que ainda não experimentou a técnica em casos de cancro. Os casos até agora conseguidos eram de pacientes com síndrome policística ovariana, uma doença em que os ovários se enchem de quistos impossibilitando a ovulação. Quatro em 20 mulheres conseguiram ficar grávidas após transferência embrionária para o útero.

“Conseguimos provar pela primeira vez que é possível e um dos casos resultou numa gravidez e num nascimento”, frisaram em declarações na BBC News.

Fonte: Público

Advertisements

%d bloggers like this: