Skip to content

O Círculo

Empowering Communities

O presidente de um congresso internacional de Química e Toxicologia Ambientais, que se inicia hoje no Porto, acusou os empresários portugueses se divorciarem das questões ambientais. “A indústria portuguesa está ausente desta realidade, o que é verdadeiramente lamentável quando este é o debate do futuro na saúde e protecção ambiental”, criticou Amadeu Soares.

Para este responsável, há poucas oportunidades de emprego para os cientistas em Portugal. “Os empresários têm que perceber que é competitivo empregar cientistas para evitar que passemos a ser um país apenas de escritórios de representação e nos limitemos a exportar os cérebros que já formámos”, destacou.

A posição é expressa a propósito do 17º congresso da SETAC Europa (Sociedade de Química e Toxicologia Ambientais), que decorre até quinta-feira na Alfândega do Porto.

Durante os cinco dias de trabalhos do congresso da SETAC será dada especial atenção à transferência do conhecimento para a industria, à ciência enquanto suporte de políticas regionais, nacionais e europeias e à comunicação dos resultados científicos e de medidas legislativas ao público em geral.

Advertisements

%d bloggers like this: