Skip to content

O Círculo

Empowering Communities

Tem apenas seis anos e vive entre a escola e o Hospital Distrital de Faro (HDF), por culpa de uma doença rara no fígado que se manifesta na pele e o impede de ter uma infância normal. Quem lida de perto com João Martins chama-lhe “residente” do serviço de Pediatria. Ontem, o menino sentiu-se menos só quando comunicou com outros que, tal como ele, estão internados. Fê-lo através de um dos seis computadores ligados à Internet entregues, ao início da manhã, ao hospital da capital algarvia.

Com dificuldade, escreve a um só dedo o nome próprio sem esquecer o acento. “Gosto mais de falar pelo microfone, é mais rápido”, confessou, sorridente. A imagem (os computadores estão equipados com câmaras) é outro dos atractivos. “Fico muito giro e dá para ver os outros meninos”, explicava, apontando para o monitor.

Na mesa ao lado, Carina Pedro, de 9 anos, na Pediatria há uma semana, revelava-se mais à vontade. Apressou-se a ligar o Messenger e em poucos minutos ganhou uma nova amiga. “É a Nídia e está internada no Hospital de Beja”, revelou. Uma amizade só possível graças à ligação em rede com outras unidades no âmbito do projecto “Um sorriso com as TIC”, da Fundação para a Divulgação das Tecnologias de Informação (FDTI), criada em 2005.

A ideia é tornar o tempo de internamento das crianças mais feliz e menos penoso. “É óptimo para eles porque não se sentem tão sós. A mim deixa-me mais sossegada, posso estar em casa e saber e ver, em tempo real, como está o meu filho”, revelou Natércia Gago, mãe de Guilherme Fonseca, internado na Pediatria. Na opinião de Rosa Machado, educadora de infância que trabalha de perto com os meninos daquele serviço, “o facto de estarem entretidos e felizes é meio caminho andado para a cura”. Como são portáteis, os computadores podem ser também utilizados por crianças acamadas.

“Nenhum país europeu dispõe de serviços equipados com infra- -estruturas tecnológicas do género”, disse o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Laurentino Dias, em Faro, de onde seguiu para o Hospital de Beja, também contemplado com computadores e Net. Seguem-se, em Maio, as unidades pediátricas do Centro Hospitalar do Funchal (Madeira) e do Hospital de Ponta Delgada (Açores), que já estão a ser equipadas.

fonte: JN

Advertisements

%d bloggers like this: