Skip to content

O Círculo

Empowering Communities

Cerca de metade das estações de metro, em Lisboa, não tem elevadores que assegurem o acesso entre a superfície, bilheteiras e plataforma, dificultando a deslocação dos deficientes, indica o Plano Nacional de Promoção da Acessibilidade, noticia a agência Lusa.

O diagnóstico do Plano confirma as conclusões de um estudo da Deco Proteste, divulgado esta sexta-feira, que denuncia as dificuldades sentidas por três quartos dos deficientes portugueses no acesso aos transportes públicos.

No Metropolitano de Lisboa, 25 das 41 estações actualmente em funcionamento inviabilizam o acesso a pessoas em cadeira de rodas, pois não dispõem de elevadores.

O Secretariado Nacional para a Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência (SNRIPD) assinala ainda que as pessoas com deficiência visual têm dificuldades de orientação, por falta de adopção de um sistema de orientação de cegos nas instalações do Metro.

Já o Metropolitano do Porto, segundo os dados do SNRIPD, é completamente acessível, com cais nivelados em todas as estações, elevadores e carruagens equipadas com sistemas sonoros e visuais de indicação do destino.

Situação difícil nos autocarros

Nos autocarros, a situação é difícil. Dos 9310 veículos de transporte de passageiros que operam no país, só 2,25 por cento estão preparados para receber pessoas em cadeiras de rodas.

Nos transportes urbanos, que totalizam 2.408 veículos, só 8,68 por cento estão adaptados, valor que sobe para 11,7 por cento no caso das frotas de Lisboa, Porto e Coimbra.

Os eléctricos, em geral, não têm acessibilidade, com excepção da Linha de Belém, em Lisboa, que tem passeios sobrelevados nas paragens.

Nas estações de comboios, embora estejam a ser respeitadas as normas, referentes à acessibilidade de deficientes, são ainda poucas as intervenções realizadas e em curso.

Nas linhas regionais, a acessibilidade não é assegurada de forma regular, obrigando os deficientes a contactar antecipadamente a CP para confirmar a disponibilidade do acesso às carruagens e respectivos apoios.

O Plano Nacional para a Promoção da Acessibilidade (PNPA) prevê dois períodos de implementação: até 2010 e de 2011 a 2015.

Advertisements

%d bloggers like this: